AIDs continha crescendo entre os mais jovens, pelo Brasil

 

AIDs continua crescer pelo Brasil e agora nova campanha foca em prevencao. Foto Agencia Camara, Cleia Viana
30-11-2020 19:00:07 (118 acessos)
Jovens de 15 a 29 anos são as principais vítimas de AIDs e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis, bem como sífilis e hepatites virais. É o que diz o Ministério da Saúde do Brasil, ao iniciar-se no País uma campanha de esclarecimento e prevenção. Essa campanha em paralelo com atividades do Dia Mundial da Luta (1º de dezembro) contra a AIDs, está na lei de 2017 para prevenção ao HIV/AIDS e outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

Para estimular a visibilidade dos conceitos e evitar as doenças, a cúpula do Congresso Nacional, em Brasília, será iluminada de vermelho até o dia 6. A data é celebrada desde 1988 e desta vez o parlamento exibirá frases na fachada, entre as 18:30 e 22 horas. Mas esta ação é espalhada por todo o Brasil e sempre tem aumento de participação.

A Aids (sigla em inglês para Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) é causada pelo HIV,  vírus da imunodeficiência humana, que ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças.

Ter o HIV não é a mesma coisa que ter Aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas ou desenvolver a doença, mas podem transmitir o vírus a outras pessoas pelas relações sexuais desprotegidas. Mas a infecção pode se dar pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação, quando não tomam os devidos cuidados. Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.

Incentivo ao diagnóstico e ao início precoce do tratamento, antes mesmo do surgimento dos primeiros sintomas da doença, tem sido uma estratégia adotada para reduzir a mortalidade relacionada ao HIV. E esse trabalho tem dado certo; até imitado por outros países em todo o mundo.

O tratamento das pessoas com ISTs melhora a qualidade de vida e interrompe a cadeia de transmissão dessas infecções. O atendimento, diagnóstico e tratamento, são gratuitos nos serviços de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Fonte: Ministério da Saúde e Agênciâ Câmara
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

AyJUr