Linguagem: EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

Brasil lembra os 110 anos de nascimento de Mazzaropi


09-04-2022 21:59:32
(619 acessos)
 
Brasil está lembrando (220409) os 110 anos do trabalho cinematográfico de Amácio Mazzaroppi, que pode-se dizer foi um pioneiro. Investiu a própria economia para fazer o que gostava, filmes. E realizou uma obra com humor peculiar, inspirado nas aventuras de caboclos e no comportamento grosseiro de valentões, cangaceiros. Apesar dos temas explorados, sempre deixava um exemplo e construção para a vida, dizendo que o0 mal não valia para nada.

 


Chofer de Praça, construído no ano de 1958, foi o filme exibido pela TV Brasil um dos clássicos do ator e cineasta. A TV pública é uma das principais janelas de exibição de produções do audiovisual brasileiro. As obras cinematográficas de sucesso do genial intérprete e diretor ainda têm visibilidade em outros horários na nova programação.

Os longas-metragens de Mazzaropi podem ser acompanhados toda segunda e terça-feira, às 22:30 horas, no Cine Retrô, sessão dedicada a atrações consagradas da sétima arte nacional. O canal também apresenta alguns desses filmes na Sessão Família, faixa em cartaz de domingo à sexta, às 14 horas.

Algumas das produções estreladas e dirigidas pelo artista ainda ficam disponíveis por 7 dias no aplicativo TV Brasil Play, após exibição na telinha. Além de atuar, Amácio Mazzaropi também trabalhou como produtor, roteirista ou mesmo diretor dos filmes.

Com humor singelo, tornou-se um dos mais ilustres comediantes do cinema brasileiro. Perspicaz, Mazzaropi utilizou da figura do "jeca" para fazer rir em tramas que marcaram época e obtiveram recordes de bilheteria no País. A filmografia do humorista reúne mais de 30 produções para as telonas.

Humor de Mazzaropi

Ícone da sétima arte no Brasil, o comediante Amácio Mazzaropi faleceu aos 69 anos em 1981, mas até hoje é considerado um dos maiores atores brasileiros. Com histórias simples e um humor até espontâneo, soube desenvolver o potencial dos filmes que viraram referência na cinematografia nacional.

A trajetória do ator e cineasta contempla 32 filmes realizados entre 1952 e 1980. Em muitos, além dos papéis principais da trama, Mazzaropi ainda desempenha outras funções. Era comum ver o artista em ação como produtor, roteirista e até diretor. Assinava a condução das comédias ou colaborava com outro profissional. Também fazia a distribuição dos longas-metragens pelo País.

Mazzaropi chegou a atrair mais de 8 milhões de espectadores em uma única produção. Deu vida ao imortal e carismático estereótipo do homem do campo. Jeca, personagem marcante, era um caipira e ingênuo, mas com doses de malícia. A figura simplória conquistou a simpatia das massas populares que garantiam cinemas lotados.

A estreia de Amácio Mazzaropi nas telonas foi em Sai da frente (1952), longa em que interpretou Isidoro, um motorista de caminhão que deixa o carro desgovernado em plena cidade de São Paulo. A partir daí, o ator seguiu atuando em pequenas, médias e grandes produções.Consolidava o nome no cinema brasileiro, além de participar de programas de televisão e estar nos palcos do teatro.

Em 1958, Mazzaropi fundou a PAM Filmes (Produções Amácio Mazzaropi), em modernos estúdios em Taubaté. Nas instalações, realizou 23 filmes. Os maiores sucessos foram Jeca Tatu (1959) e Casinha Pequenina (1963), ambos contabilizando 8 milhões de pagantes em cada apresentação.

O último trabalho do saudoso comediante no cinema foi O Jeca e a Égua Milagrosa, de 1980. No ano seguinte, o artista morreu aos 69 anos, vítima de um câncer na medula antes de concluir a obra Maria Tromba Homem, longa que permaneceu inacabado.

Chofer de Praça

No dia que marca os 110 anos de nascimento de Amácio Mazzaropi, a TV Brasil apresentou Chofer de Praça. Na obra de 1958, além de ser o protagonista da trama, Mazzaropi também assina a produção e o roteiro. A partir deste longa, o comediante passa a colaborar frequentemente com os diretores.

O filme, que teve direção do cineasta Milton Amaral, também foi o primeiro trabalho da carreira do humorista com a atriz Geny Prado, seu par constante ao longo da trajetória artística. Os números musicais são interpretados por grandes personalidades como Lana Bittencourt e Agnaldo Rayol.

No enredo, Mazzaropi vive o humilde Zacarias. Muda-se com a mulher Augusta (Geny Prado) para uma vila em São Paulo com o objetivo de arrumar um emprego e ajudar o filho Raul (Celso Faria) a pagar a faculdade de Medicina. O sonho dele é ver o rapaz formado.

Disposto a fazer o possível e o impossível para ajudar a família, o protagonista consegue um trabalho como chofer de praça. Zacarias começa a dirigir um modelo de carro antigo, muito barulhento e fumacento, que rapidamente vira motivo de muitas piadas e de viagens repletas de trapalhadas.

Um filme simples

Ano: 1958. País: Brasil. Gênero: comédia. Duração: 97 min. Direção: Milton Amaral. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Celso Faria, Ana Maria Nabuco, Carmen Morales, Maria Helena Dias, Roberto Duval, Elk Alves, Benedito Liendo. Participação especial: Lana Bittencourt e Agnaldo Rayol. Classificação Livre.

 

 

Fonte: Agência Brasil - TV Brasil
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

3MKbd