Linguagem: EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

Pragas e doenças provocam perdas de 40% dos alimentos no mundo

 

Pragas e doenças provocam perdas de 40% dos alimentos no mundo
04-06-2022 20:55:58 (86 acessos)
Pragas e doenças estão provocando a perda de 40% das colheitas de alimentos pelo mundo, todos os anos. isto é o que está dizendo a equipe de pesquisadores da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Prejuízos afetam não só o rendimento, mas também os ganhos de produção; e têm um efeito devastador nas comunidades mais pobres que dependem da agricultura para a subsistência. Além de fornecer 98% do oxigênio que os viventes respiram, doam 80% das calorias de alimentos

 

Foto: gafanhotos expandem raios de ação pelo mundo.

Proteger a sanidade vegetal é uma tarefa fundamental.

Mas a destruição desenfreada dos recursos naturais e

excesso de químicos para controle, multiplicam as pragas e os prejuízos. 

A FAO tenta conscientizar os governos internacionais sobre a prioridade que deve ser dada à sanidade vegetal e a gestão sustentável ao formular políticas e legislação. Chama atenção das instituições acadêmicas e de pesquisa para o desenvolvimento de soluções baseadas em evidências. Pede atenção das organizações não governamentais e setor privado, sobre ajuda para capacitação e fornecimento de apoio técnico e financeiro às melhores práticas de prevenção, manejo de pragas e doenças de plantas.

Com a secretaria da Convenção Internacional para Proteção das Plantas (IPPC) foi feita a publicação da “Revisão Científica do Impacto das Mudanças Climáticas nas Pragas de Plantas”(disponível em inglês). Oferece informações abrangentes sobre o impacto das mudanças climáticas na saúde de plantas e contém recomendações sobre medidas para prevenir pragas e doenças de plantas.

Pragas não tem fronteiras 

Pragas e doenças de plantas não conhecem fronteiras. Em um mundo cada vez mais globalizado e interconectado, não é surpresa que elas possam se deslocar e colonizar novas áreas. As mudanças climáticas estão acentuando essa disseminação ao criar condições favoráveis para essas pragas e para a sobrevivência de certas doenças de plantas em novas áreas. Por exemplo, a mudança climática já contribuiu para expandir a gama de pragas, como o Gorgulho-da-palma-vermelha, a lagarta do cartucho, a mosca das frutas, o gafanhoto-do-deserto e a broca cinza-esmeralda. 

O aumento de pragas representa grande ameaça ao meio ambiente, especialmente

das pragas invasoras, que podem causar perda de biodiversidade. As doenças de

plantas são igualmente devastadoras, causando estragos nas

colheitas e reduzindo os rendimentos dos agricultores.

A FAO listou 5 doenças cada vez mais perigosas que ameaçam a saúde das plantas e tornaram-se ameaças ainda maiores devido à crise climática:

  1. Requeima da batata - A requeima é uma doença causada pelo fungo Phytophthora infestans que prejudica o cultivo de batatas e tomates. Nos tomates, a doença causa lesões nas folhas, pecíolos e caules, enquanto os tubérculos de batata desenvolvem uma podridão de até 15 milímetros de profundidade. O fungo tem uma grande capacidade de adaptação às mudanças de condições, preferindo estações quentes e úmidas. As mudanças climáticas estão criando condições favoráveis para este fungo em momentos e lugares diferentes do que os vistos anteriormente. Por exemplo, no Egito, as condições climáticas, que são cada vez mais quentes e úmidas, estão favorecendo as epidemias de requeima da batata, permitindo que o patógeno se desenvolva mais cedo na estação agrícola. 
  2. Ferrugem do cafeeiro - Essa doença fúngica, também conhecida como Hemileia vastatrix, afeta as folhas do cafeeiro. Começa com manchas amarelas e depois se transforma em um pó amarelo-alaranjado que contamina facilmente outras plantações de café. A ferrugem do cafeeiro é um dos maiores desafios para a produção global de café pois a doença é capaz de se adaptar a diferentes climas. O aquecimento global parece ajudar a reduzir o período de incubação do patógeno, o que significa que mais gerações do patógeno podem se desenvolver em uma temporada agrícola.
  3. Murcha de Fusarium - É uma doença fúngica letal causada pelo fungo do solo Fusarium oxysporum TR4. Ao entrar na bananeira através das raízes, o fungo bloqueia o fluxo de água e nutrientes para as células da planta, destruindo gradualmente suas folhas. Por fim, esta doença leva à morte da planta. Altas temperaturas e eventos climáticos extremos, como ciclones, ambos efeitos comuns das mudanças climáticas, podem aumentar o risco de murcha de Fusarium na banana.
  4. Xylella fastidiosa- A Xylella fastidiosa é uma bactéria transmitida por várias espécies de insetos sugadores de seiva, como a cigarrinha, que infecta diversas culturas de importância econômica —como videiras, cítricos, oliveiras, amendoeiras, pessegueiros e café—, plantas ornamentais e florestais. A bactéria bloqueia a capacidade do hospedeiro de absorver água, causando uma seca interna. A Xylella é predominante principalmente nas Américas, no sul da Europa e no Oriente Próximo, mas tem potencial para se expandir além de sua distribuição atual. O aumento das populações de insetos vetores pode levar a uma séria expansão desta doença. 
  5. Míldio da videiraCausado pelo fungo Plasmopara viticola, o míldio da videira é uma doença fúngica extremamente grave das uvas que pode causar grandes perdas nas colheitas. O patógeno ataca as partes verdes da videira, principalmente as folhas, causando lesões angulares, amareladas e às vezes oleosas entre os nervos. O aumento da temperatura do ar favorece o aparecimento da doença. O risco de surtos graves de míldio da videira está aumentando à medida que as mudanças climáticas alteram as temperaturas em muitas regiões.

 

Fonte: ONU - FAO
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

T2PbQ