Linguagem: EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

Professora de Matemática faz sugestões para melhor educação no Brasil

Professora de Matemática faz sugestões para melhor educação no Brasil
[foto] - Professora Eolalia Artifon

06-12-2023 11:54:10
(547 acessos)
 
"É preciso menos discurso político e mais investimentos," sugere a professora de Matemática no Estado do Paraná, Eolalia Artifon, ao analisar os resultados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, o PISA. Pesquisa mundial indicou índices muito ruins para o Brasil. Atuante no dia-a-dia da sala de aula, sofre os reflexos de um conjunto de distorções sociais e econômicas, entre os quais a indisciplina persistente. Mas não fala sobre isso e mostra os desafios da educação.

 


PISA avalia a situação da educação em países pertencentes a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Análise quinquenal, sugere debates especialmente no caso do Brasil, onde o sistema educacional, em 2023, está entre os últimos classificados.
"Embora a comparação seja desigual, em relação a realidade dos países" da Organização, a professora avalia que o baixo desempenho do Brasil está relacionado com as seguintes causas:

 

  1. Formação de professores. O maior problema está nas políticas públicas que não investem o suficiente na formação e valorização de professores. 
  2. A valorização profissional é um pilar importante a ser considerado, pois assim teremos mais profissionais qualificados, interessados e deste modo a motivação para o trabalho será favorecida tanto para os professores quanto para os alunos.
  3. A qualidade dos cursos superiores que do modo em que estão estruturados, não tem a finalidade principal de formar profissionais comprometidos com a Educação e com o Ensino da Matemática.
  4. As políticas públicas do Brasil que na área da educação necessitam ter a função de acolhimento social, e não aplicam os recursos necessários para atender a demanda.
  5. É preciso menos discurso político e mais investimentos.

 

Ensino integral

Percebemos que nos últimos tempos os governos têm como solução, manter ensino em tempo integral.
Seria a estratégia acertada, uma vez que poderia atender a necessidade social associada ao processo ensino aprendizagem. Mas para isso as escolas precisam de recursos e atividades diferenciadas. Não é possível mudar um sistema mantendo as escolas nas mesmas condições precárias." Essa é a sugestão que faz a professora Eolalia, que é mestre em Educação.

Tem opinião de que "na avaliação de 2022, a Pandemia foi o principal motivo do baixo desempenho agora refletido no PISA, embora o Brasil tenha apresentado índice percentual menos significativo em relação à queda dos outros países."

 

Celular atrapalha

Como professora de Matemática "quero chamar atenção dos governos que a permissão de uso de celulares em sala de aula, sem fins pedagógicos, tem prejudicado muito a aprendizagem dos alunos.
É preciso ter coerência e responsabilidade entre querer adaptar um recurso tecnológico para contribuir no processo ensino-aprendizagem da Matemática e ser totalmente permissivo" quanto à liberação desses aparelhos. 

 

 

Fonte: Eolalia Artifon
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

NUfyr