Linguagem: EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

NASA viaja para a Lua com foguete Space Launch System

NASA viaja para a Lua com foguete Space Launch System
[foto] - Foguete SLS na missão Artemis 1 para a Lua 221116. Foto NASA, Joel Kowsky

15-11-2022 21:43:54
(373 acessos)
 
Está viajando à Lua (221116) um engenho espacial que a NASA dá o nome de Space Launch System, um foguete pioneiro da Missão Artemis 1. Está ligado à espaçonave não tripulada Orion – e aos sistemas terrestres no Centro Espacial Kennedy. Objetivo final é conduzir em segurança ao solo lunar, astronautas na segunda etapa da missão, prevista para ocorrer até 2026. Brasil e mais 20 países estão aliados nesse empreendimento, e contribuindo para o retorno às Lua, 50 anos depois da Missão Apollo.

 


Após obter autorização da equipe de engenheiros, a missão Artemis I encontra-se em contagem regressiva com o objetivo de possibilitar “mais um importante passo da humanidade” no desafio de retornar com um voo tripulado à Lua.

Foguete Space Launch System (SLS) iniciou a trajetória às 3h04 da quarta-feira (221116), no horário de Brasília e, integrado à espaçonave não tripulada Orion – e aos sistemas terrestres no Centro Espacial Kennedy da Nasa –  a partir da Flórida. 

Segundo a agência espacial dos Estados Unidos, a primeira missão da Artemis “abrirá o caminho para um voo de teste tripulado e futura exploração lunar humana” e, posteriormente, para um desafio ainda maior: o primeiro voo tripulado a Marte. A cobertura ao vivo de briefings da missão é transmitida na Nasa Television, no aplicativo da Nasa e no site da agência.

Terceira tentativa

Esta foi a terceira tentativa de lançamento da missão. A primeira, em 29 de agosto, foi adiada após a constatação de defeito em um sensor de temperatura. O outro adiamento foi em 4 de setembro, ao ser identificado um vazamento de hidrogênio líquido em uma interface entre o foguete e o lançador móvel.

A Nasa chegou a cogitar um lançamento no dia 12. No entanto, problemas causados pelo Furacão Nicole em uma vedação – entre uma ogiva do sistema de aborto de lançamento e um adaptador do módulo da tripulação – fez com que a partida fosse novamente adiada antes mesmo de a contagem regressiva ser iniciada.

O programa prevê missões não tripuladas e tripuladas nos próximos anos. A iniciativa está sendo implementada em um período de grandes avanços na exploração do espaço, marcado pela descoberta de moléculas de água em solo lunar e por missões tecnológicas para o planeta Marte.

A primeira viagem não tripulada da Artemis I marca uma série de testes na órbita da Lua, tanto em relação aos equipamentos quanto à cápsula Orion, que deve levar até quatro astronautas na segunda etapa da missão, prevista para ocorrer até 2026.

A missão pretende ampliar a atuação no sistema solar, de forma a construir uma base lunar permanente, sustentável e fazer com que a Lua seja um ponto de apoio para projetos em Marte.

O voo de volta à Lua, organizado pela Nasa em parceria com 21 países, entre os quais, o Brasil, representa o retorno ao satélite 50 anos após a última viagem tripulada, em 1972, com a Missão Apollo.

 

 

Fonte: NASA-Agência Brasil, Pedro Peduzzi
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

VwTHs