Linguagem: EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

Ford anuncia fim da produção no Brasil. Governo projeta reformas.

 

11-01-2021 23:12:54 (623 acessos)
A montadora Ford anunciou (210111) que fechará as fábricas no Brasil. Serão interrompidas as plantas de Camaçari (BA) e Taubaté (SP) e mantida apenas por alguns meses a produção de peças, para suprir o estoque de pós-venda. A fábrica da Troller, em Horizonte (CE), se encerrará no último trimestre de 2021. A empresa manterá apenas o Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia; o Campo de Provas, em Tatuí (SP); e a sede regional em São Paulo.

 

Opinião:

Sempre insistimos que os profissionais de comercialização de veículos

automores, fazem colocações de preços e tecnologias inadequadas. Valores

elevados são taxados os veículos. Multiplicam-se lançamentos de produtos sem a

qualidade dos congêneres encontrados no exterior, como faz a Ford

nos EUA.  Como o consumidor brasileiro já conhece essas estratégias enganosas,

acaba não aderindo e deixando que os produtos permaneçam nas

lojas imponentes dos revendedores. Disposto a ajudar, o então presidente Barak Obama chamou

dirigentes da Ford e da General Motors, endividadas. "Façam veículos modernos, menos gastadores

de combustível". E enumerou outros itens. Nem uma dessas históricas empresas

aderou às ideias. E nos países onde se instalaram, continuaram a mesma prática.

Para terminar: essas grandes empresas valorizam demais até os veículos

usados das marcas. E aí está o resultado: interrompem a produção.

Que advertência essa dos brasileiros! Compram mais marcas diferentes e não

são as que fizeram nome ao longo da história do automobilismo.

Vale para GM, Volkswagen e Fiat.

 

O mercado nacional será abastecido com veículos Ford produzidos, principalmente, na Argentina e Uruguai, países cujas operações da empresa não serão afetadas. A montadora encerrará as vendas dos modelos EcoSport, Ka e T4 assim que terminarem os estoques.

A justificativa é a crise gerada pela pandemia que atinge o mundo desde o início de 2020. Segundo a Ford, a pandemia da covid-19 "amplia a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas".

“A Ford está presente há mais de um século na América do Sul e no Brasil e sabemos que essas são ações muito difíceis, mas necessárias, para a criação de um negócio saudável e sustentável”, disse Jim Farley, presidente e CEO da Ford.

A companhia não informou qual será o número de funcionários demitidos, disse apenas que trabalhará "com os sindicatos, nossos funcionários e outros parceiros para desenvolver medidas que ajudem a enfrentar o difícil impacto desse anúncio”.

Governo do Brasil lamenta

Melhoria do ambiente de negócios e o avanço das reformas estruturais são necessários para reduzir o custo de manter empresas no País, informou o Ministério da Economia. Em nota, a pasta lamentou a decisão da montadora Ford de encerrar a produção no Brasil e destacou que a saída do Brasil contrasta com a recuperação na indústria, nos últimos meses.

“O Ministério da Economia lamenta a decisão global e estratégica da Ford de encerrar a produção no Brasil. A decisão da montadora destoa da forte recuperação observada na maioria dos setores da indústria no país, muitos já registrando resultados superiores ao período pré-crise.” É o que diz o Ministério em comunicado.

Lembram os profissionais do Ministério da Economia, que o Governo tem promovido ações para reduzir o custo de manter negócios. Mas insistem na aprovação de reformas que modernizem a economia brasileira. “O Ministério trabalha intensamente na redução do custo Brasil com iniciativas que já promoveram avanços importantes. Isto reforça a necessidade de rápida implementação das medidas de melhoria do ambiente de negócios e de avançar nas reformas estruturais.”

Reforma tributária

Entidades do setor produtivo também destacaram a necessidade da aprovação de reformas. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) afirmou, em nota, que a reforma tributária deve ser a prioridade para reduzir o principal entrave à competitividade do setor industrial brasileiro.

“O Brasil tem que lutar para melhorar sua competitividade, pois, além das fábricas, há toda uma cadeia automotiva que inclui redes de concessionárias, fornecedores de partes e peças e diversos outros serviços. Essa decisão reforça a urgência de se avançar na agenda de competitividade e redução do custo Brasil”, destacou em comunicado o diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi.

Para a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) o encerramento das atividades da Ford representa “uma triste notícia para o país”. A entidade também pediu a aprovação de uma agenda que reduza o custo Brasil e criticou a alta tributação sobre os automóveis praticada no país.

“A alta carga tributária brasileira faz diferença na hora da tomada de decisões. O custo de cada automóvel produzido aqui, por exemplo, dobra apenas por conta dos impostos”, informou a Fiesp. “Precisamos urgentemente fazer as reformas estruturais, baixar impostos e melhorar a competitividade da nossa economia para atrair investimentos e gerar os empregos de que o Brasil tanto precisa”, concluiu a entidade em nota.

 

Fonte: Agência Brasil
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

hevdJ