Linguagem: EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

Alerta precoce, ONU apela aos governos para evitar mortes e prejuízos

 

US$ 3,64 trilhões, perdas causadas pelo clima, como em Petrópolis, Brasil. Foto AgBr, TâniaRêgo
23-03-2022 12:26:02 (167 acessos)
Todos os dias morrem 115 pessoas e são contabilizadas perdas de US$ 202 milhões. Estas são referências feitas no relatório da Organização Meteorológica Mundial (OMM), a propósito do Dia Mundial da Meteorologia comemorado sempre em 23 de março. António Guterres, secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), fez um apelo à comunidade internacional, governantes, cientistas, parlamentos, para prevenir desastres protegendo os recursos naturais, o clima.

 

Nos últimos 50 anos (1970-2019), foram registrados 11 mil desastres atribuídos a estes perigos, com mais de 2 milhões de mortes e prejuízos de US$ 3,64 trilhões, todos decorrentes das condições meteorológicas, da revolta do clima ou ação destrutiva da água. 

Um terço da população mundial, principalmente em

países menos desenvolvidos e pequenos estados

insulares em desenvolvimento, ainda não está

coberta por sistemas de alerta precoce. Na África é

ainda pior: 60% da população não têm esta cobertura.

Mudanças climáticas tem sido preocupação da ONU, que promove essas mega-reuniões pelo mundo. E a exibição do quadro ruim, encontrada no  relatório da OMM de 2021, se dirige no mesmo rumo. 

Dirigente das Nações Unidas estimulou que sejam criados sistemas de alerta antes que aconteça qualquer evento destrutivo causado pela revolta da natureza. Pediu à OMM para "liderar os esforços e apresentar um plano de ação que será apresentado na próxima Conferência do Clima, que acontece no Egito em novembro." Ideia é quer estejam os dirigentes mundiais, habilitados com esses recursos, dentro de 5 anos (até 2027).

António Guterres lembra o Dia Mundial dando um nome ao que pretende: “Alerta precoce e ação precoce”.

“A interferência do ser humano no clima está agora prejudicando todas as regiões. O mais recente relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês) detalha que já há sofrimento. Cada aumento no aquecimento global irá aumentar a frequência e intensidade dos eventos climáticos extremos.” 

“Precisamos investir igualmente em adaptação e resiliência. Isto inclui informação que nos permita antecipar tempestades, ondas de calor, enchentes e secas.” Palavras do Secretário-Geral da ONU.

“Alertas precoces e ação salvam vidas. Por isso, hoje eu anuncio que as Nações Unidas irão liderar uma nova ação para garantir que cada pessoa na terra seja protegida por sistemas de alerta precoce dentro de cinco anos. Pedi que à Organização Meteorológica Mundial lidere este esforço e apresente um plano de ação na próxima conferência do clima da ONU, no fim do ano no Egito”, afirmou o secretário em uma mensagem de vídeo para a cerimônia do Dia Mundial da Meteorologia.

“Devemos aumentar o poder de previsão para todos e construir capacidade para agir. Neste Dia Mundial da Meteorologia, reconheçamos o valor dos alertas precoces e da ação precoce como ferramentas críticas para reduzir o risco de desastres e apoiar a adaptação climática.”

Devastação da Península de Bolívar após o furacão Ike

OMM diz que o número de desastres aumentou 5 vezes em de 50 anos. Foto © NOAA

Clima extremo

As mudanças climáticas já estão visíveis através de clima extremo em todas as partes do mundo. Vemos ondas de calor mais intensas, além de secas e incêndios florestais. Há mais vapor na atmosfera, o que leva a chuva extrema e enchentes mortais. O aquecimento do oceano leva a tempestades tropicais mais poderosas e o aumento dos níveis do mar aumenta os impactos.

 

Graças aos alertas precoces aperfeiçoados e ao gerenciamento de desastres, o número de vidas perdidas diminuiu três vezes no mesmo período em função de melhores previsões do clima e gerenciamento de desastre proativo e coordenado.

“O crescente número de desastres em função das mudanças climáticas está ameaçando a implementação de uma grande parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Além de cada mitigação muito crítica, é cada vez mais importante investir em adaptação climática”, afirmou o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas.

"Um dos maiores retornos de investimentos é alcançado com a melhoria dos serviços de alerta precoce de clima, água e previsão do tempo e infraestruturas de observação relacionadas. Há necessidade de investir 1,5 bilhão de dólares nos próximos cinco anos para melhorar a qualidade dos serviços e a infraestrutura relacionada, especialmente nos países menos desenvolvimentos e nos pequenos estados insulares em desenvolvimento", detalhou Taalas

Sistema de Alerta Precoce

Um Sistema de Alerta Precoce para enchentes, secas, ondas de calor ou tempestades é um sistema integrado que permite às pessoas saber quando condições meteorológicas perigosas estão a caminho e informa como governos, comunidades e indivíduos podem agir para minimizar seus impactos.

Estes sistemas permitem o monitoramento em tempo real das condições atmosféricas na terra e no mar e efetivamente prever condições meteorológicas e eventos climáticos futuros usando avançados modelos numéricos computacionais. O objetivo é compreender que riscos de tempestades previsíveis poderiam trazer a uma área que será afetada – e que pode ser diferente se é uma cidade ou zona rural, regiões polares, costeiras ou montanhosas.

Sistemas de alerta precoce devem incluir planos de resposta acordados por governos, comunidades e pessoas, para minimizar impactos antecipados. Um sistema de alerta precoce abrangente também deve incluir lições aprendidas em eventos passados, para continuamente melhorar as respostas futuras a problemas climáticos, meteorológicos ou outros relacionados ao meio ambiente.

 

Fonte: OMM - ONU
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

nGpUH